domingo , 25 junho 2017


PLU Top 100 Gay Blogs

Contos Eróticos Gay – Meu novo vizinho é um negão

1113

Moro num bairro grande de Sampa e na minha rua há várias casas para aluguel. Num belo dia eu estava saindo de casa e percebi um caminhão de mudança pra casa ao lado da minha. Depois chega um negão maludo num outro carro com uma mulher descem do carro e acompanham os rapazes da mudança. Logo imaginei que o negão seria o próximo morador. Depois de alguns dias automaticamente fomos nos conhecendo aos poucos ( Modéstia a parte, sou bom pra puxar conversa). Acabei falando que sou solteiro e ele falou que era casado, mas não tinha filhos. Essas conversas sempre aconteciam na calçada em frente às nossas casas (Aliás, esqueci de dizer que tenho tara por negros, principalmente os grandões e ursos) e esse tinha mais ou menos 1.80m e uns 80 quilos. Ele usava sempre calça jeans mais ou menos colada e ficava aquele volumão na calça, entre as pernas. Muitas vezes eu estava conversando com ele e não conseguia desviar os olhos daquele volume delicioso de se ver. Eu não sou afeminado, mas por eu olhar tanto o volume na calça ele percebeu que eu estava a fim de levar aquele pauzão estilo Kid Bengala no cuzinho. Por perceber meu interesse por ele, ele nunca falava de mulheres comigo.

Era sempre papo sobre política, sociedade, países, economia, etc. Um dia ele me falou que a mulher trabalhava das 2 horas da tarde às 10 da noite. Isso já era um ponto pra mim que já estava louco pra ser traçado por aquele negão. Depois de vários dias conversando do lado de fora da casa, o convidei pra entrar. Ele entrou. Sentou e eu estava queimando de tesão. A gente se olhava com tanto tesão que só faltava se agarrar. Eu ali sentado no sofá de frente pra ele e ele me olhando como se estivesse no cio. Eu tremia de excitação e nervosismo e ele ficava sem saber o que fazer. Até que ele disse que ia ao banheiro. Quando levantou não pode esconder o volume maior do pau duro na calça que parecia que o pauzão ia saltar pra fora. Ele foi ao banheiro que fica no corredor que da sala se pode ver. Entrou no banheiro, ficou de perfil, tirou aquela tora negra imensa e começou a mijar com a porta aberta. Não resisti e fui ao corredor e fiquei babando olhando aquele negão de perfil com aquele pauzão mijando, sabendo que eu estava olhando e fingiu que não.

Acabou de mijar, apontou o pauzão pra mim,balançou e falou: “VOCÊ GOSTA?” Eu respondi “E MUITO…” Ele se aproximou de mim com o pau duro babando, balançou e falou : “QUER MAMAR” ? Eu não pensei duas vezes, me ajoelhei aos pés dele e abocanhei aquela jeba negra deliciosa e mamei loucamente igual uma puta no cio. O negão gemia e contorcia de tesão. Eu engolia a vara toda até a garganta e ele falava: “ISSO… MAMA SEU NEGÃO MINHA PUTINHA SAFADA! GOSTA DE JEBA PRETA?” Eu disse “ADORO. MEU VICIO É UMA ROLA PRETA.”

Parei de mamar e puxei-o pelo braço pra minha cama. Peguei um tapa-sexo que empina ainda mais minha bundona lisinha e vesti (Sou aquele tipo de magro bundudo). O negão quando viu ficou louco de tesão mais ainda. O pauzão dele latejava. Estava tão duro que apontava pra cima. Ele me pegou por trás esfregando o pauzão preto na minha bunda branquinha e lisinha e mandou eu ficar de quatro na cama. Levantei bem a bunda de modo que o reguinho já ficava aberto e ele caiu de boca no meu cu que já estava depiladinho. Ele metia a língua, chupava e mordia minha bunda e eu rebolando na cara dele. Ele dava tapas na minha bunda e dizia sacanagem tipo: “QUE PUTINHA MAIS GOSTOSA! QUE RABÃO DELICIOSO!” Cuspiu no meu cu e eu encostei pra beirada da cama com a bunda pra fora e ele em pé no chão. E ele dizia “TO LOUCO PRA FUDER ESSE CUZÃO TESUDO”. Começou a empurrar o cabeção da vara e eu disse: “NÃO, SEM CAMISINHA NÃO!” Ele se irritou e falou: “JÁ FAZ MAIS DE UM ANO QUE NÃO COMO UM CU, SÓ COMO A BUCETA DA MINHA MULHER E MAIS NINGUÉM E VOCÊ QUER TIRAR MEU PRAZER DE TE ENRABAR SEM CAMISINHA?!!?

Meu tesão era tanto que nem pensei em mais nada. Já falei: ‘TÁ BOM! “FODE ESSE CU COMO VOCÊ QUISER MEU NEGÃO, VAI” METE ESSA VARA!

Passei um lubrificante e empinei mais a bunda, louco pra ser enrabado. Eu tremia de tesão e meu cuzinho piscava freneticamente ansioso pra ser penetrado.

Falei pra ele por devagar. Ele foi empurrando e eu rebolando. O pau era tão grande e grosso que parecia que tava me rasgando. Eu gemia. Entrou tudo até o talo. Ele falava: “ TA GOSTANDO DA JEBONA DO TEU NEGÃO , MINHA PUTINHA CUZUDA? E eu gemendo dizia que sim. Ele segurou firme na minha cintura e começou a socar a vara tão fundo e forte que eu queria gritar de dor e tesão ao mesmo tempo, mas só gemia pros vizinhos não ouvirem.

Ele fudia meu cu loucamente, dando rápidas e fortes estocadas que meu corpo balançava pra frente e pra trás e eu olhando no espelho na outra parede a tora preta aparecendo e sumindo dentro do meu cu. Meu sonho de ser fudido loucamente por um negão estava se realizando.

Ele enterrava aquela vara sem dó nem piedade no meu cu e falando sacanagem: “TOMA, VADIA , SAFADA! TOMA PICA NO CU! VOCÊ QUERIA , AGORA TOMA! VOU ARROMBAR ESSE CU, ADORO CU BRANQUINHO! Eu apertava o pau dele com o cu e ele falava mais sacanagem: COMO ESSE CU TA QUENTE! VOU TIRAR MEU ATRASO DE COMER CU!

Segurou nos meus ombros e não parava de falar sacanagem, urrava de tesão,depois tirou o pauzão e me mostrou dizendo: OLHA O PAUZÃO QUE TA TE ARROMBANDO! PEDE PICA, VAI, PEDE CACHORRA , e eu : ME DA PICA MEU NEGÃO, METE MAIS NO MEU CU, NÃO PARA!. Ele atolou de novo o cacetão já inchado e melado de tesão, dava umas 4 ou 5 estocadas bem fortes que estremecia meu corpo e parava com o pau todo dentro. Quando eu menos esperava ele fazia de novo. Depois pegou firme na minha cintura e socava bem rápido, tirava o pau e olhava meu cu todo aberto e vermelho do volume do pau. Dava uns tapas na minha bunda e dizia ESSE É O CU MAIS GOSTOSO QUE JÁ FUDI ATÉ HOJE! Cuspiu no buraco vermelho e meteu tudo de surpresa falando : VOU ENCHER ESSE CU TESUDO DE PORRA! TOMA! TOMA MINHA PUTA SAFADA. Continuou bombando e me falando palavrão até que senti o pau dele inchar e ele urrando de tesão : AIIIIIIII VOU GOZAR CARALHO… Senti vários jatos de porra quente enchendo meu cu… ele tirou o pau e escorreu pelo meu buraquinho…

Depois tomamos um banho e fiz um boquete delicioso… dessa vez ele falou que queria me fuder de bruços até gozar que era um fetiche e assim fez. Deitou nas minhas costas e socou a vara sem dó e encheu meu cu de porra de novo…

Nesta tarde foram quatro gozadas e durante vários meses o meu vizinho negão sempre me enrabava em casa quando tava de folga… até que se mudou pra outra casa em outro bairro…

1113

About Dan Herculano

Dan Herculano
Carioca de 23 anos, designer gráfico, voyuer, adepto do poliamor e amante da pornografia

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: